Vice-presidente do Brasil diz que não há racismo no Brasil: ‘Querem importar aqui’

De acordo com informações do G1, o general considerou a morte “lamentável” e se tratava de segurança “totalmente despreparada”.

Um dia após um homem negro ser espancado até a morte no Rio Grande do Sul, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira (20), dia da Consciência Negra, que não há racismo no Brasil. João Alberto Silveira Freitas foi mobilizado, espancado e morto por dois homens brancos que trabalhavam em uma unidade do Carrefour em Porto Alegre, na noite de quinta-feira (19).

De acordo com informações do G1, o general considerou a morte “lamentável” e se tratava de segurança “totalmente despreparada”. Mas Mourão negou que possa ter havido motivação racial no crime.

“Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui”, afirmou em coletiva de imprensa.

Um jornalista insistiu na pergunta e Mourão repetiu a resposta, desta vez afirmando “com toda a tranquilidade”. Mourão disse que no Brasil, na verdade, há desigualdade.

“Eu digo para vocês o seguinte, porque eu morei nos Estados Unidos: racismo tem lá. Eu morei dois anos nos Estados Unidos, e na escola em que eu morei lá, o ‘pessoal de cor’ andava separado, (o) que eu nunca tinha visto aqui no Brasil. Saí do Brasil, fui morar lá, era adolescente e fiquei impressionado com isso aí. Isso no final da década de 60”, acrescentou.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Bahia.ba