Suspensão de operações policiais nas favelas reduziu 70% do nº de mortes, revela pesquisa

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) em evento online promovido pela Defensoria Pública do Rio de janeiro. 

Um levantamento da Universidade Federal Fluminense (UFF) concluiu que a suspensão das operações policiais nas favelas cariocas provocou  uma redução de 72,5% no número de mortes e 50% no número de feridos em decorrência de ações ou tiroteios nas favelas do Rio de Janeiro no mês de junho. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) em evento online promovido pela Defensoria Pública do Rio de janeiro. 


De acordo com os pesquisadores, a estimativa é de que 30 vidas foram preservadas no período de 31 dias após a decisão liminar provisória do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de suspender as operações policiais no estado por quanto durar a pandemia do novo coronavírus.


O estudo comparou o impacto da medida nos 31 dias com média da série histórica desde 2007. 


A pesquisa foi realizada com base em dados oficiais de ocorrências criminais divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ), dados sobre operações policiais produzidos pelo GENI/UFF e informações sobre tiroteios do Datalab Fogo Cruzado – RJ.

De acordo com o levantamento, do dia 5 de junho até 5 de julho, houve uma redução de 78% das operações policiais. A pesquisa indicou que essa redução não veio acompanhada do aumento de criminalidade.  Os pesquisadores identificaram uma redução de 48% nos crimes contra a vida e de 40% nos crimes contra o patrimônio no mesmo período. 


Para o pesquisador do GENI/UFF Daniel Hirata, o cruzamento dos dados indica que as operações policiais não são eficientes em reduzir a ocorrência de crimes.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Bahia Notícias/Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil