Sem fiéis em missas, Aparecida celebra dia da padroeira com eventos virtuais

O reitor do santuário de Aparecida, disse que a igreja entende que a experiência de fé de cada devoto também é vivida a partir do cuidado que demonstra por ele.

No lugar das multidões, celebrações televisivas e pelas redes sociais. A comemoração do 12 de Outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do país, acontece apenas virtualmente neste ano na cidade de Aparecida (SP) devido à pandemia de Covid-19.

Ao explicar a decisão de fazer as celebrações não presenciais em um comunicado, o padre Eduardo Catalfo, reitor do santuário de Aparecida, disse que a igreja entende que a experiência de fé de cada devoto também é vivida a partir do cuidado que demonstra por ele.

“Durante as celebrações da novena e da festa da padroeira os devotos serão representados por funcionários ligados às obras de evangelização do santuário”, disse. O tema deste ano é “Com Maria, em família, revestir-se da Palavra de Deus”.

Além da visitação ao Santuário Nacional e à imagem da padroeira, setores como posto médico, tenda dos peregrinos e CAR (Centro de Apoio ao Romeiro) funcionam normalmente. O uso de máscara é obrigatório.

Ônibus de turismo estão proibidos de circular na cidade, conforme decreto da prefeitura, independentemente do número de pessoas a bordo. Nos hotéis, a capacidade permitida é de 50% —era de 30% até o dia 17 de setembro.

Procissões externas, vigílias, carreatas, passeio ciclístico e apresentações musicais e artísticas com presença de público foram cancelados.

Embora não sejam proibidas, as romarias a pé ou de bicicletas não são recomendadas pelo santuário.

Neste ano, o total de romeiros que já se dirigem a pé até Aparecida apresentou redução, conforme dados da concessionária NovaDutra.

Enquanto entre setembro e a primeira semana de outubro do ano passado foram cerca de 2.700 romeiros, neste ano o total é de 1.600, segundo Diego Dutra, coordenador de interação com clientes da CCR Nova Dutra.

Em 2019, foram mais de 30 mil caminhando pelos acostamentos da Dutra entre setembro e novembro, dos quais 25 mil entre 10 e 13 de outubro, 51% mais que em 2018.

“Como a basílica está divulgando que a festa é pelas redes sociais e não haverá missas, creditamos a isso essa diminuição. Não é uma mistura legal a Dutra ter carros e pedestres, o desenho da rodovia é para atender a logística nacional, ligar São Paulo ao Rio”, disse.

A concessionária também não recomenda essa manifestação de fé devido ao risco para os peregrinos. Seis foram atropelados em 2019 —houve uma morte. Neste ano, ao menos três romeiros foram atropelados no acostamento.

Por isso, a indicação é que utilizem a Rota da Luz, em estradas secundárias, com 201 quilômetros cortando nove municípios e que parte de Mogi das Cruzes.

O Caminho da Fé, rota de peregrinação religiosa que parte de vários ramais em São Paulo rumo a Aparecida, também sofreu reorganização devido à pandemia.

Até o dia 31 de dezembro, os certificados de peregrinação —conferidos a quem faz a rota—serão emitidos no Centro de Informações Turísticas de Aparecida, na marquise do Centro de Apoio ao Romeiro.

Atos religiosos ligados à padroeira também foram cancelados em outros locais do país, como Ribeirão Preto.

A 51ª edição da romaria de Nossa Senhora Aparecida, que percorre 12 quilômetros entre a região central da cidade e o distrito de Bonfim Paulista, foi cancelada pela paróquia Senhor Bom Jesus do Bonfim devido ao novo coronavírus.

“Ficará a romaria Ribeirão-Bonfim para o 12 de outubro do próximo ano, se, até lá, a imunização da população à Covid-19 tiver já acontecido”, disse o padre Mário Reis da Silveira em um comunicado.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

BNews