Secretário especial de Cultura, Mario Frias chama auxilio de R$ 600 de ‘esmola’

Durante conversa, Mario Frias ainda afirmou que estar em total sintonia com o presidente Jair Bolsonaro.

Em conversa com o deputado federal Eduardo Bolsonaro transmitida pelo Youtube, o secretário especial de Cultura, o ator Mario Frias, afirmou que os artistas não querem “esmola”, se referindo ao auxílio emergencial de R$ 600 aprovado pelo Congresso à categoria.

“Artista não quer esmola. A maioria que eu vejo diz: ‘Me deixa trabalhar’. Não quero auxílio”, disse o substituto de Regina Duarte na Secretária Especial de Cultura.

Quase um mês após ser aprovado no Congresso Nacional, o projeto de auxílio emergencial ao setor ainda não foi assinado por Bolsonaro. Ele tem até o dia 30 de junho para sancionar ou vetar o texto. Caso contrário, a lei entra em vigor automaticamente.

Durante conversa, Mario Frias ainda afirmou que estar em total sintonia com o presidente Jair Bolsonaro. “Tudo que eu faço pode ter certeza que estou em comunhão com meu presidente. O patrão quer uma linha estética e essa linha estética vai ser privilegiada”, garantiu.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Metro1