Relatório aponta que falta de manutenção em aeronave causou a morte de Ricardo Boechat

O laudo afirma que o rolamento do compressor falhou porque o duto de distribuição de óleo estava entupido.

O relatório final do acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat em fevereiro de 2019, apontou falta de manutenção no helicóptero que levava o apresentador e o piloto Ronaldo Quatrucci de Campinas para São Paulo. As informações foram divulgadas pelo repórter Valteno de Oliveira, da Band.

Segundo o jornalista, o relatório final do Cenipa (Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da FAB (Força Aérea Brasileira), concluiu que houve uma falha no compressor do helicóptero e a atitude do piloto foi determinante para a tragédia.

O laudo afirma que o rolamento do compressor falhou porque o duto de distribuição de óleo estava entupido. A troca do óleo deve ser feita pelo menos uma vez ao ano, mas a dessa aeronave não era realizada há 38 meses.

Em 2017, o helicóptero chegou a ser proibido de voar por causa desse problema. A peça foi trocada e a aeronave acabou liberada posteriormente, no entanto ela ainda apresentava riscos. O relatório afirma que no dia do acidente, o piloto chegou a ver a luz no painel, mas ignorou a recomendação de desmonte da aeronave.

Além dessa avaliação feita pelo Cenipa, a Polícia Civil também faz sua própria avaliação.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Bahia.ba/ Foto: Reprodução/Casa de América