Pesquisa investiga coronavírus em pets em cinco capitais

O objetivo é analisar o risco de transmissão homem-animal no Brasil. Aa informações são da jornalista Lívia Marra, do jorna Folha de S. Paulo.

Uma pesquisa coordenada pela UFPR (Universidade Federal do Paraná) vai avaliar cerca de mil animais cujos tutores testaram positivo para Covid-19. O objetivo é analisar o risco de transmissão homem-animal no Brasil. Aa informações são da jornalista Lívia Marra, do jorna Folha de S. Paulo.

Segundo a universidade, será o primeiro estudo do gênero em um país tropical —algo semelhante foi desenvolvido na Itália.
Para o estudo, a equipe procura voluntários em Curitiba, Belo Horizonte, Campo Grande, Recife e São Paulo. Interessados devem entrar em contato pelo email COVID19@ufpr.br.

Desde o começo da pandemia, alguns animais receberam diagnóstico positivo para coronavírus pelo mundo. No Brasil, uma gata em Cuiabá é o primeiro pet a apresentar o vírus.

Nos Estados Unidos, o pastor alemão Buddy, primeiro cachorro com diagnóstico para coronavírus nos país, precisou ser submetido a eutanásia meses após o Sars-CoV-2. Segundo veterinários, ele possivelmente sofria de linfoma e, de acordo com a agência AFP, há dúvidas se, assim como humanos, animais com doenças preexistentes podem ser mais suscetíveis a formas graves da Covid-19.

Não há, porém, evidências de que os animais de estimação transmitam a doença. São os humanos que contaminam os animais, segundo informações da FDA (agência de controle de drogas e alimentos, com função similar à da Anvisa) e do CDC (Centros de Controle de Doenças), ambos dos Estados Unidos.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Bahia.ba