OAB pode suspender carteira de advogado de Janot nesta terça-feira

O pedido foi feito pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e pelo governador do DF, Ibaneis Rocha (PMDB-DF)

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Distrito Federal pode suspender nesta terça-feira (8) o registro de advogado de Rodrigo Janot. O pedido foi feito pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e pelo governador do DF, Ibaneis Rocha (PMDB-DF) – o relator do caso, Leonardo Ranna, ainda analisa a solicitação. As informações são da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

No final de setembro, Janot, que voltou a exercer a advocacia após deixar a PGR, afirmou à imprensa que planejou o assassinato de Gilmar Mendes, chegando a ir armado ao STF. “Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele e depois me suicidar”, disse à época.

No requerimento de Calheiros, ele afirma que a confissão de Janot “não causa apenas perplexidade: causa asco”. Ele disse, ainda, que “os fatos demonstram desonra à atividade profissional dos advogados de maneira acachapante”. O senador pede que a entidade suspenda Janot por 180 dias para a realização de “apuração psicológica e toxicológica do mesmo”.

Nesta segunda-feira (7), Janot lançou em São Paulo o livro “Nada menos que tudo”, onde relatou, de forma resumida e sem citar nomes, o caso. O evento teve público – foram vendidos apenas 43 dos 550 exemplares disponíveis na noite.

No mesmo momento em que o ex-procurador lançava seu livro na capital paulista, Mendes concedia entrevista a uma bancada de jornalistas no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Comentando o caso, ele afirmou que sentiu “uma pena enorme das instituições brasileiras” e que é chocante pensar que a PGR estava nas mãos de “alguém que “pensava em faroeste”. “Em relação a pessoa, eu só posso recomendar um tratamento psiquiátrico”, disse.

Bahia.Ba/ Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil