Mães apelam pelos bebês em estado grave no Luiz Argolo: “aguardam regulação para salvar as suas vidas”

Após o nascimento de Maria Isabel e Miguel, ambos foram diagnosticados com problemas graves de saúde.

Dois bebês nascidos no hospital e Maternidade Luiz Argolo em Santo Antonio de Jesus estão aguardando uma vaga na regulação para serem encaminhados a Salvador ou Feira de Santana para realizarem as cirurgias necessárias que irão salvar as suas vidas.

Após o nascimento de Maria Isabel e Miguel, ambos foram diagnosticados com problemas graves de saúde. No entanto a Santa Casa de Misericórdia não realiza este procedimento para salvar os bebês. Desesperada, as duas mães entraram em contato com a reportagem do Voz da Bahia no intuito de pedir ajuda:

CASO MARIA ISABEL:

A pequena Maria Isabel filha da mamãe Glardem Darlei, moradora do bairro Andaiá em Santo Antônio de Jesus, nasceu prematura e devido ao baixo peso a mesma adquiriu anemia. O bebê precisa de uma bolsa de sangue para que possa sobreviver, contudo o Luiz Argolo não oferece esse procedimento para bebês nesse estado, “por ela ser prematura a veia e a pele dela é muito delicada então é preciso uma pequena cirurgia para que ele receba um bolsa de sangue e aqui não faz isso, por isso que estou na regulação para ela pode ser encaminhada para Salvador ou Feira de Santana”, diz. A mesma ainda informa que a filha nasceu com outros problemas de saúde no quais foram tratados, porém, essa situação não consegue resolver na Santa Casa, “minha filha é uma guerreira e está lutando pela vida e vai dar certo em nome de Jesus”, explana.

CASO MIGUEL:

Letícia Thaís dos Santos, moradora do bairro Apaga Fogo em Nazaré das Farinhas, é a outra mãe que descobriu que seu filho Miguel nasceu sem esôfago. Devido a esse problema o bebê precisa passar por uma cirurgia para que possa se alimentar e viver normalmente. A família pede pressa, pois teme pela vida da criança, “é meu primeiro filho e o hospital já informou que ele precisa de uma cirurgia com urgência”, revelou.

REGULAÇÃO:

De acordo com informações da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), o processo é iniciado com a solicitação do médico que está atendendo o paciente. Em seguida, o médico da Central Estadual de Regulação (CER) então, busca uma unidade com o perfil que possa atender a demanda do paciente. Após a identificação da unidade de atendimento adequado, a vaga é buscada, existindo, o paciente é transferido. Caso não exista a vaga, ela terá que aguardar em uma lista de espera.

Voz da Bahia