Guedes quer ficar de fora das negociações da reforma da Previdência no Congresso

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa de audiência pública na Comissão Especial da Câmara que analisa a proposta de emenda à Constituição da reforma da Previdência.
A parlamentares que o procuram, ministro diz que qualquer negociação em cima do texto original é de responsabilidade do Congresso.

O  ministro Paulo Guedes, da Economia, quer ficar longe das negociações da reforma da Previdência no Congresso. A informação é da coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo

Conforme a coluna, Guedes repete o mesmo discurso aos parlamentares: é a favor de uma reforma que economize R$ 1 trilhão e da capitalização. Acredita que estados e municípios devem ser incluídos nas novas regras. E que nenhuma concessão deve ser feita, de forma isolada, a categorias, para não desidratar a proposta.

O ministro afirma ainda que qualquer negociação em cima do texto original é de responsabilidade do Congresso, já que a bola está com os parlamentares.

De acordo com interlocutores que conversaram com Guedes nesta semana, ele quer evitar que seu nome seja usado para avalizar iniciativas com as quais não concorda. Por isso, repete os mesmos mantras. E deixa o diálogo com os parlamentares a cargo de Rogério Marinho, secretário da Previdência.

Nas conversas, o ministro repete que está onde sempre esteve. Há 40 anos.

Bahia.ba/ Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil