Governo inicia desativação de leitos de coronavírus em Salvador

A medida ocorre em função das baixas taxas de ocupação dessas unidades na capital baiana.

O governador Rui Costa (PT) anunciou nesta terça-feira (15) a desativação de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao coronavírus e geridos pelo estado em Salvador. A medida ocorre em função das baixas taxas de ocupação dessas unidades na capital baiana. A desativação terá início a partir do hospital Ernesto Simões, que era exclusivo para pacientes com Covid-19. A partir desta semana, os leitos adicionais serão mantidos. O hospital funcionará com 55 leitos de UTI e mais 100 leitos clínicos, focado em média e alta complexidade.

Ainda de acordo com o governador, a Fonte Nova passará de 80 para 50 leitos de UTI e de 100 para 30, em enfermaria. “Quem sabe, Deus queira, que a ocupação continue caindo e a gente possa anunciar a desativação completa da Fonte Nova”, afirmou Rui. 

O Hospital Santa Clara, que é arrendado pelo governo, terá todos os nove leitos de UTI desativados e funcionará apenas como hospital de retaguarda para leitos clínicos. 

Já o hospital Riverside será desativado e reformado para reabrir no começo do próximo ano como um hospital de cuidados prolongados. “São aqueles pacientes que são internados, operados, precisam de uma internação mais prolongada, um politraumatizado, alguém que teve um AVC ou um infarto”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas. 

Segundo o governador, no entanto, a desativação não significa que os equipamentos serão inviabilizados. Ele afirmou que o estado está preparado para uma possível nova onda de casos na capital baiana. “Toda a infraestrutura e equipamentos estarão disponíveis para, se for necessário, reativar os leitos”, diz Rui.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Metro1