Governo defende necessidade de CPF regular para receber auxílio emergencial

PCdoB apresentou ação no STF contra a exigência do CPF.

A Advocacia Geral da União (AGU) defendeu no Supremo Tribunal Federal (STF) o decreto que impõe a apresentação de CPF regular para o recebimento do auxílio emergencial de R$ 600. A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época.

Segundo a publicação, a resposta foi dada a uma ação apresentada pelo PCdoB, que afirmou que exigir a regularização do CPF neste momento é “induzi-lo (brasileiro) ao desespero e à morte”.

Na defesa, a AGU argumentou que “o auxílio emergencial não se mostra elegível a todos os trabalhadores, mas apenas àqueles que se encaixam nos requisitos estipulados” e que a exigência do CPF é “apenas um mecanismo procedimental”.

“A exigência da regularidade do CPF é efeito direto da necessidade de correção de dados dos beneficiários, para que se tenha a segurança de que os recursos estão sendo destinados àqueles que necessitam”, alegou.
O órgão mencionou ainda que o CPF é necessário para criação de uma poupança digital, usada para o recebimento dos valores.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

Bahia.ba