Capela é destruída durante ataque na Ilha da Maré: ‘Isso é um ódio, mas não vamos parar’, diz padre

Essa não é a primeira vez que a comunidade é alvo de intolerância religiosa.

Uma capela de bambu, usada pela comunidade da Paróquia São Lázaro de Betânia, na Ilha de Maré, em Salvador, para as celebrações religiosas, foi destruída nesta quarta-feira (28). Ainda não há informações sobre suspeitos. O caso foi confirmado ao G1 pelo padre Kelmon Luís Sousa.

A situação ocorreu no povoado de Bananeiras. O padre explicou que o local foi montado enquanto a paróquia de pedra não fica pronta. No espaço eram feitas todas as atividades da igreja, como orações e celebrações religiosas.

“Estou há quase um ano em Ilha de Maré e estamos construindo a Paróquia de São Lázaro de Betânia. Como não construímos o templo de pedra, ganhamos o espaço do terreno de um senhor, provisoriamente, e fizemos a capela de bambu. Nós fazemos celebrações, batizados, atendo as pessoas, rezo pelas pessoa todas. Ali, eu rezo para todo mundo mundo. É um espaço para oração”, disse o padre.

Ainda de acordo com o padre, vários objetos foram destruídos do local. Ele disse que, apesar da intolerância religiosa, as atividades não serão interrompidas.

“Hoje, eu tive a surpresa da destruição. Quebraram a cruz, jogaram fora, destruíram muitas coisas. Quebraram os bancos. Nós não sabemos quem fez isso. Mas vamos refazer, não vamos parar. Foi um ato de intolerância à religião. Todo desrespeito a um local de oração, é uma agressão a uma religião de alguém. Isso é um ódio, mas não vamos parar”, pontuou o padre.

Essa não é a primeira vez que a comunidade é alvo de intolerância religiosa. No ano passado, um cruzeiro das celebrações foi destruído nas proximidades do local onde foi construída a capela.

Siga o Recôncavo no Ar nas redes sociais e fique por dentro de todas as informações e transmissões ao vivo na nossa página oficial.

Facebook e Instagram

G1