Caixas misteriosas encalham em praias no NE e causam acidente com 2 mortos

Um buggy que transportava quatro pessoas colidiu frontalmente com um pacote.

Caixas de borrachas, de origem desconhecida, voltaram a encalhar em praias do Nordeste, na última semana, e uma delas causou acidente com duas mortes, na praia de Santa Rita, em Extremoz, região metropolitana de Natal. No ano passado, a região já havia registrado casos de caixas que apareceram sem explicação em praias.

Um buggy que transportava quatro pessoas colidiu frontalmente com um pacote, por volta das 19h do último sábado (8), e matou na hora a Núbia de Almeida, 40, e deixou três pessoas feridas, sendo duas em estado grave. Na segunda, uma das pessoas feridas, Jéssica Fonseca, 42, não resistiu aos ferimentos. Ela estava internada com politraumatismo no hospital Walfredo Gurgel, em Natal.

A terceira vítima, um homem que não teve a identidade divulgada, está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Walfredo Gurgel, em estado grave. O motorista do veículo fraturou uma das pernas e recebeu alta após atendimento médico.

Segundo o Sindibuggy (Sindicato dos Bugueiros Profissionais do Rio Grande do Norte), os três passageiros do buggy foram arremessados do veículo devido ao impacto da colisão com o pacote de borracha. O motorista conseguiu ficar dentro do veículo, mas quebrou uma das pernas.

Pacotes similares ao que causou o acidente no Rio Grande do Norte começaram a encalhar nas praias do Nordeste no ano passado. Os primeiros registros ocorreram em Alagoas, onde foram recolhidos mais de 100 caixas.

A Polícia Federal e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) recolheram o material das praias de Alagoas e de outros estados, mas até agora não conseguiram descobrir a origem e seus responsáveis.

O IMA (Instituto de Meio Ambiente de Alagoas) colheu amostras dos pacotes e concluiu que se trata de polímero sintético (borracha), um composto originado de petróleo.

Segundo o Instituto Biota de Conservação, novas caixas voltaram a encalhar na última semana em Alagoas, na Paraíba e no Piauí.

Uol / Imagem: Instituto Biota de Conservação