Após demissão de Amadeu Vitória buscará quinto técnico em 2019

A relação entre Amadeu, que já era funcionário do Vitória antes de assumir o comando da equipe em Agosto e o torcedor rubro-negro já não era das melhores nos últimos jogos.

“Na tarde de quarta-feira [17/09], após a chegada da delegação a Salvador, fui comunicado de meu desligamento do Esporte Clube Vitória. Saio do comando técnico do clube de cabeça erguida. Em um período curto, creio que a gente tenha conseguido criar um padrão de jogo mesmo com as dificuldades. Foram nove jogos, com três triunfos, quatro empates e apenas duas derrotas, alcançando um aproveitamento de 48% (que hoje colocaria o Vitória entre os dez primeiros na tabela da Série B). Como falei, foi um período curto, mas que fizemos o nosso melhor todos os dias. Obrigado ao clube pela oportunidade e à torcida pelo apoio que sempre tive à beira do gramado”, foi o que disse o treinador em sua conta na rede social.

A relação entre Amadeu, que já era funcionário do Vitória antes de assumir o comando da equipe em Agosto e o torcedor rubro-negro já não era das melhores nos últimos jogos. A torcida vinha pegando no pé do treinador em relação as constantes mudanças na equipe baiana, culminando em vaias e gritos de burro no último jogo em casa. Apesar da relação conturbada com a torcida e das derrotas nos últimos dois jogos para lanternas da competição, foi com Amadeu que o Vitória alcançou sua melhor sequência no campeonato, com 7 jogos sem derrotas.

As constantes mudanças no Vitória, entretanto, não tem sido feitas somente na equipe que entra em campo. No banco de reservas, essa será a quinta troca de treinador somente em 2019.

Antes de Carlos Amadeu, passaram pela equipe também Marcelo Chamusca, Cláudio Tencati, e Osmar Loss. Entre eles, Amadeu foi o que teve o melhor aproveitamento, com 48% dos pontos disputados.

A situação do rubro-negro baiano na série B do campeonato brasileiro é bastante delicada. Ocupando a 15ª posição, a equipe pode voltar a zona de rebaixamento ainda nesta rodada. Ainda existem 15 rodadas pela frente e 45 pontos em disputa, mas no clube o alerta já está ligado.

Pior do que não conseguir o retorno para a série A em 2020, o que já está praticamente descartado do planejamento, seria um rebaixamento para a série C.  Por conta disso, a diretoria já está trabalhando em conseguir um novo nome para ocupar o comando da equipe e conseguir tira-la dessa situação incômoda em que se encontra.

No momento ainda não existem nomes sendo especulados. A tendência é que o auxiliar técnico, Bruno Pivetti, assuma o comando da equipe de forma interina até que um novo técnico seja contratado pela direção do clube.

O próximo compromisso da equipe pela série B do Campeonato Brasileiro é contra o Atlético Goianiense, na próxima terça-feira, na Arena Fonte Nova.

Será uma partida complicada paras as pretensões do Vitória, que necessita se reabilitar imediatamente no campeonato, uma vez que o Atlético-GO ocupa no momento a vice liderança da competição e é uma das melhores equipes além de real candidata a promoção para a série A em 2020 segundo sites de apostas esportivas online como a Betway (dados extraídos no dia 20 de setembro de 2019). Invicta a sete jogos, a equipe goiana segue na caça do líder Bragantino, em busca não só do acesso, mas também do título de campeão brasileiro da série B em 2019.

No momento, resta ao rubro-negro baiano juntar os cacos rapidamente e se reencontrar com seu próprio nome para se reerguer no campeonato o mais breve possível.

Foto: Letícia Martins/ EC Vitória